Saiba mais sobre o COVID-19, principais notícias, números, métodos de prevenção e muito mais. Clique aqui...

79 3044-9011
99973-8688 / 99192-4313
 
 
 WhatsApp
 Imprimir


Geral
BIGODE LAMENTA SUSPENSÃO DO ATENDIMENTO A PACIENTES DO SUS NO HOSPITAL SÃO JOSÉ.
28/10/2020 às 08:20 por Sandra Dantas

O vereador Bigode, 1º Secretário da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Aracaju, lamentou a suspensão do atendimento á pacientes do SUS no hospital São José que ocorreu na última segunda-feira (26).

O motivo, segundo o Hospital, é a falta de insumos ocasionada pelo atraso no repasse das verbas por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju (SMS).

O coordenador administrativo geral do Hospital São José, Fúlvio Leite, explica que a unidade de saúde recebe verba da União, do Estado e do Munícipio, mas a fonte pagadora é a SMS. O débito, dos três entes, soma mais de R$ 4,3 milhões.

Já a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que não tem contrato com o Hospital São José  e que na semana passada fez o repasse de R$ 323.803,49 para a SMS.

A Secretaria Municipal da Saúde informou que possui três contratos vigentes com o hospital São José, os quais incluem serviços como psiquiatria, saúde auditiva, cirurgias gerais entre outros; contrato de enfermaria de leito covid-19 e contrato de UTI covid-19, que abrangem diversas fontes pagadoras. Atualmente, o valor em aberto é de aproximadamente R$ 2,5 milhões. Esse montante inclui o contrato ordinário, contrato de leitos de enfermaria covid-19 e contrato de UTI covid-19.

Ainda segundo a SMS, do total que está em aberto, mais de R$1 milhão é de responsabilidade exclusiva do governo do Estado. Assim que a gestão estadual realizar o repasse, a Prefeitura efetuará o pagamento ao Hospital São José. Ou seja, os valores em aberto do município com a unidade hospitalar são inferior a R$ 1,5 milhão e parte desse valor ainda se encontra em prazo regular de pagamento.

“ Com tantas explicações o problema ainda não foi resolvido, cabe aos administradores públicos garantirem a saúde que é direito de todos e dever do Estado, garantido diante de políticas sociais e econômicas que visem a redução de doenças e de outros agravos ao acesso universal e igualitário as ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação conforme o artigo 196 da constituição brasileira, sendo assim é viável que as garantias constitucionais da população sejam respeitadas”, disse Bigode.

                           

MAIS NOTÍCIAS